sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Mais sobre o painel

Prometi me controlar, mas, como disse o Cubiak, saímos de lá com maçãs atravessadas na garganta. Então, não me controlo:

Decepção, vergonha, constrangimento, riso, desesperança... Alguns dos sentimentos que me pulularam as entranhas no momento do painel com os candidatos a prefeito e também no pós-painel. O que foi isso??? Ficou muito claro, realmente, que a arte, a cultura não fazem parte de sua pauta.

Para se ter idéia, os candidatos desconheciam a estrutura da Fundação Cultural, o orçamento destinado à cultura pelo município, o Fundo Municipal de Cultura, as ações já realizadas pela entidade. Apenas para dar uma ilustrar o que digo, e esclarecer a quem não esteve presente, foram momentos como:

- Se for eleito, vou criar um editora municipal, porque Blumenau precisa de uma editora municipal, vinculada à Fundação (Meu caro, a Editora Cultura e Movimento existe há 10 anos!)

- Se for eleito criarei um Fundo de repasse de verba direto aos artistas, para a viabilização de seus projetos (Caro candidato, o Fundo Municipal foi criado e aprovado na gestão anterior, passando a vigorar na atual, e já está em sua terceira edição!!)

- O que o senhor acha do atual orçamento do Fundo Municipal, tem propostas para melhorá-lo? O candidato: Qual é o orçamento? Hmmmm? Ah, 300 mil?? Mas 300 é muito pouco para manter toda a estrutura da Fundação Cultural! A Fundação precisa ter um orçamento maior; isso sem falar no fundo que pretendo criar p repassar dinheiro direto aos artistas! (Dãããr!)

- Alguém dos senhores conhece algum projeto ou artista contemplado pelo Fundo? (silêncio)

Provaram que não se interessam pela cultura, que sequer lêem jornal (tendo em vista que muitas ações e projetos são divulgadas na imprensa, sou testemunha e até colaboradora disso) e que, além de mal-informados , são preguiçosos (não tiveram a iniciativa mínima de navegar no site da FCBlu antes de ir ao debate), mal assessorados e sem uma equipe competente na área e portanto sem propostas.

Outra triste constatação foi o teor conservacionista de suas idéias. Para os candidatos cultura é preservação e conservação de tradições e culturas, manutenção do passado (não desmereço sua importância mas critico sua exclusividade e priorização), e muito pouco, ou nada, se falou de fomento às atuais produções, de formação de novos artistas e apreciadores.

Isso, sem mencionar e entrar em detalhes, aqui, nas piadinhas, bizarrices, saídas pela direita (ou pela esquerda?) e despautérios que timos que ouvir de suas bocas.

Por fim, no encerramento do debate, um ‘classudo’ tapa de luvas da presidente do Conselho, que no mínimo deve tê-los deixado encabulados (será que eles têm vergonha?). Aliás, excelente a iniciativa do Conselho! Acabou sendo um magnífico raio-x , em poucos minutos os próprios candidatos se despiram.
Candidatos, ainda está em tempo de olhar para o próprio rabo, ter um pouco de humildade, e correr atrás do tempo perdido, que o vexame deste debate lhes sirva de oportunidade....
Socuerro el justiciero!

3 comentários:

Anônimo disse...

Realmente ninguém sabia de nada. Uma vergonha. O menos pior e que sabia o que falava foi o atual prefeito. O restante...

Labes disse...

Eu aposto que ainda tinha alguém esperançoso. Viu? Caímos do cavalo - de novo.

:|

Anônimo disse...

realmente, quem fez menos feio foi o jpk, que sabia do que falava. pero, tbem não apresentou muitas propostas...