segunda-feira, 9 de novembro de 2009

E a II Conferência Estadual de Cultura?

Dae pessoas.

Estamos a quinze dias da Conferência Estadual. Pelo jeito, não vai rolar aquele encontro anterior para articular idéias e posições. Por isso, pq nao propor, aqui, uma discussão sobre os grandes desafios a se levar a Floripa?

No mais, beijos!
Márcio

4 comentários:

Ali Assumpção - Liquidificador disse...

eu topo, ate pq essas semanas estão bem corridas p mim! por aqui, rola legal!

Ali Assumpção - Liquidificador disse...

eu acho q temos q pensar uma abordagem apropriada e fundamentada para um assunto crucial:

- a falta de critérios na distribuição dos recursos do Funcultural e do Seitec...isso é uma marafunda, um buraco negro...

- outro ponto é a inoperância da nossa SDR nna área da cultura...o q esses caras fazem??

Ali Assumpção - Liquidificador disse...

A Prefeitura Municipal de Blumenau, a Fundação Cultural e o Conselho Municipal de Cultura indicam os delegados titulares e suplentes governamentais e ratificam os nomes indicados pela sociedade civil, para a 2a. Conferência Estadual de Cultura, que será realizada no próximo dia 25, em Florianópolis. São seis titulares e seis suplentes indicados pelos participantes da 4a. Conferência Municipal de Cultura, realizada em setembro último, em Blumenau.

São eles:

ROLF GESKE e JAMIL ANTÔNIO DIAS, delegados titular e suplente, respectivamente da Fundação Cultural de Blumenau – FCB e Conselho Municipal de Cultura - CMC;

MELITA BONA e KARL HEINRICH GEORG REHFELDT, delegados titular e suplente, respectivamente da Universidade Regional de Blumenau – FURB e Conselho Municipal de Cultura - CMC;

ALINE ASSUMPÇÃO e MONALISA BUDEL, delegados titular e suplente, respectivamente da Sociedade Civil;

MÁRCIO JOSÉ CUBIAK e ROMUALDO LUCIANO SEDREZ, delegados titular e suplente, respectivamente da Sociedade Civil;

SILVIO JOSÉ DA LUZ e VIEGAS FERNANDES DA COSTA, delegados titular e suplente, respectivamente da Sociedade Civil;

CARLA FERNANDA DA SILVA e RICARDO MACHADO, delegados titular e suplente, respectivamente da Sociedade Civil.

Márcio disse...

Então...

1o de tudo, esse tal SEITEC, sua legislação e (i)lógica;

2o a falta de transparência e de critérios na definição de recursos e políticas públicas, sem diálogo com a classe artística;

3o a gestão do Gilmar K. e do Luís Henrique ficarão marcadas como a gestão fotográfica da política cultural - foto de mais, ação pouca.

4o enrolations society - edital elisabete anderle quase dois anos e pouco para tudo acontecer e ainda sem repasse - circuito catarinense de cultura só na propaganda;

Beijos e esperando a cervejada de sexta!
Márcio