quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

2009 não terá FITUB

A 23ª edição do Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau acontecerá somente em Julho de 2010. A decisão de fazer o Festival a cada dois anos está embasada em critérios técnicos. "Com mais tempo para produzir o Festival ampliam-se as chances de captar recursos e com isso oferecer um suporte melhor aos grupos. Ampliam-se também as possibilidades de divulgação internacional da proposta, atraindo mais grupos estrangeiros", observa a professora Pita Belli, coordenadora do Festival da FURB.
Há três anos o Festival é bancado integralmente pela Lei de Incentivo à Cultura do Estado de Santa Catarina.
Fonte: www.furb.br

6 comentários:

Ali Assumpção - Liquidificador disse...

pois é, q tristeza...
temo q isso seja um enfraquecimento do festival.
lamentável q nesta hora, artistas, poder público, universidade e empresas não estajam mobilizados para garantir a continuidade e o fortalecimento deste, q já é o maior evento artístico de blumenau e um dos mais esperados e conceituados festivais do país...

Taninha disse...

Estou chocada!
Não dá pra crer nisto!
A estragégia é mais uma saída para a crise, infelizmente, pode enfraquecer a proposta de dar continuidade a este evento, que dá cor e conteúdo ao inverno de Blu.

Viegas Fernandes da Costa disse...

Concordo com vocês, Aline e Tânia. Há de se pressionar publicamente para que empresas e poder público incorporem-se à FURB a fim de garantir a perpetuação do festival. O que o festival precisa mesmo é de aporte financeiro.

costadessouza disse...

Tanto dinheiro gasto em eventos para "levantar o ânimo dos blumenauenses" e atrair turistas...por que não juntar tudo isso à promoção da cultura e manter o que nos resta de melhor no calendário artístico?
Soube semana passada e também fiquei chocado.

Saulo Costa disse...

É uma pena. Mesmo achando que o Festival deu uma 'murchada' nos últimos tempos(e não é só por falta de $, pela confusa organização mesmo)era uma boa sua continuidade. Acho que além de poder público e empresas têm-se que todos que não querem que ele vá, correrem atrás, inclusive os principais organizadores do festival.Sem ficar sentado esperando ou reclamando, pois assim é fácil demais. Criemos alternativas.

maindra disse...

nossa soube disso agora e me bateu uma angustia.