domingo, 8 de agosto de 2010

Abobrinha e Pimentão invadem Temporada Blumenauense de Teatro



A divertida reflexão sobre o amor, proposta pelo L.E.G.U.M.E. Palhaços, estará em cartaz na Temporada Blumenauense de Teatro. Depois de passar por espaços alternativos nos bairros, os palhaços Pimentão e Abobrinha voltam a encenar o espetáculo “Faca de dois (le)gumes” no Centro da cidade. As apresentações, de 11 a 15 de agosto, começam sempre às 20h, no Espaço Multicultural Elfy Eggert, na Fundação Cultural de Blumenau.

Além do entretenimento, “Faca de dois (le)gumes” visa uma comunicação com o público despertando a reflexão sobre o amor e sua característica de faca de dois gumes. Com a irreverência do clown (palhaço), Pimentão e Abobrinha mostram que quando se trata deste sentimento, ao mesmo tempo em que alguém fere, pode também sair ferido.

O elenco da peça é formado pelos atores do grupo L.E.G.U.M.E. Palhaços Charles Augusto (Pimentão) e Ana Peres Batista (Abobrinha), com a participação do músico Lúcio Locatelli. A direção é assinada pelo ator da Cia. Carona, Fábio Hostert. A montagem recebeu o incentivo do Fundo Municipal de Apoio a Cultura de Blumenau.

Esta é a primeira participação do L.E.G.U.M.E. Palhaços na Temporada Blumenauense de Teatro, uma iniciativa dos grupos de teatro da cidade, em parceria com a Fundação Cultural de Blumenau. O valor do ingresso é R$ 10,00. A meia-entrada para estudantes, idosos e crianças e sócios do clube do assinante custa R$ 5,00. A classificação do espetáculo é livre.

Temporada Blumenauense de Teatro com L.E.G.U.M.E. Palhaços

Faca de dois (le)gumes

Onde: Espaço Elfy Eggert – Fundação Cultural de Blumenau.

Quando: 11 a 15 de agosto.

Horário: 20 horas.

Ingresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia.

Acesse: legumepalhacos.blogspot.com

Texto: Oliveira Junior.

Foto: Cláucia Maindra.

Um comentário:

maindra disse...

então pessoal assisti este espetáculo no FITUB e me encantei. do início ao fim estive envolvida no enredo e em alguns momentos fui surpreendida por gostosas gargalhadas.

Gláucia Maindra